skip to Main Content

Quem somos: Conheça Pedro Barbieri, gerente de operações da Arable no Brasil

  • Por Stacy Basko

Conheça Pedro Barbieri, gerente de operações da Arable no Brasil e mestre das multitarefas. De sua base em São Paulo, ele administra – e cultiva – as relações com os clientes. Esta é a história dele.

Pedro é daqueles que não conseguem ficar parados. Sempre em movimento, raramente faz uma coisa de cada vez e tem a mente ligeira. Essa característica o torna um gerente de projetos por natureza e uma vida inteira como músico tem tudo a ver com isso.

Agrônomo de formação, área que escolheu porque combina engenharia com biologia, ele começou seus estudos num conservatório, tocando saxofone. Pedro estava em vias de virar músico profissional, seguindo uma regra de família: todo mundo aprende a dançar, tocar um instrumento – e depois, de preferência, entra para a banda que o clã fundou há mais de 100 anos.

Depois de alguns desfiles, ao som de trompas, cantoria e vinho, Pedro trocou o sax pela agronomia e começou a faculdade. Até aprendeu a tocar violão, mas com a carreira na agricultura, se envolveu com planejamento de negócios, start-ups e desenvolvimento/lançamento de produtos. Ao mirar nas melhorias que podem surgir das necessidades do cliente, foi parar no agrotech e na Arable.

“Nunca quis fazer algo tão específico em toda a minha vida, até agora”, explica Pedro. “Meu objetivo é transformar a Arable na principal ferramenta de planejamento de agricultores e cooperativas. Quero ajudá-los a aumentar rendimentos, reduzir custos e consumir menos recursos”.

Ágil para resolver problemas, Pedro conecta os pontos para otimizar os negócios com a maior desenvoltura. No primeiro gole de café, já faz contato com algumas das 30 empresas que têm dispositivos Arable Mark em seus campos de milho, soja e açúcar. O café ao longo do dia serve para manter a energia em alta. “Acho que se eu parasse de beber café, meu coração parava de bater”, diz, mais ou menos brincando.

DSC_0727.JPG

Pedro com seu dog, Luke.

Irrequieto, é fácil encontrar Pedro praticando escalada ou instalando um Mark com clientes, em pleno campo. Mas com a pandemia, ele teve que baixar o ritmo. Por ora, orienta as instalações de uma tela, via apps e dispositivos remotos. Também precisou cancelar seus planos de correr com touros em Pamplona (Espanha), mais uma vez. “O pessoal acha que eu sou doido, mas eu quero mesmo fazer isso”, diz. “Tomara que ano que vem dê.”

Com mais tempo em casa, Pedro resolveu focar em outro talento: o faça-você-mesmo (DIY). Ele é curioso e criativo, e curte aprender a construir coisas. “Uma frase que eu vivo falando é: quero fazer tal objeto do zero”, admite.

Ele já se dispôs a fabricar móveis de madeira, incluindo uma luminária de chão e uma armação de cama, que ele usa todo dia. Também fez muito pão caseiro, anos antes de a pandemia transformar o hábito numa febre do Instagram. Recentemente, tentou extrair chocolate do cacau cru.

Como a empreitada se mostrou mais difícil do que o previsto, Pedro decidiu parar e reavaliar. “Estou dando um tempo para pensar sobre meu próximo projeto criativo”, diz. Enquanto isso, segue conversando com produtores e fazendo planos de encontrá-los pessoalmente, assim que for adequado.

Quer entrar em contato com o Pedro? Ele vai curtir receber sua mensagem. Envie um e-mail.

Quer saber mais sobre a Arable no Brasil? Leia esses posts.

Back To Top